Juros compostos: já ouviu falar nele?

Juros Compostos: O que é e Como Calcular?

Juros compostos: você sabe como calcular? Nós criamos um texto para te ensinar e você vai aprender de vez. Aproveite!

Aprenda o que significa o conceito de juros compostos e como eles podem mudar sua vida financeira.

“Os juros compostos são a força mais maravilhosa do universo e a maior invenção da humanidade”. Você já ouviu essa frase?

Dizem por aí que quem fez tal afirmação foi ninguém menos que Albert Einstein. É uma pessoa que sabe uma coisa ou outra, né?

Pois bem, eles são juros aplicados sobre juros, ou seja, uma força que pode multiplicar seus ganhos quando você investe.

Mas se você toma dinheiro emprestado e não paga, também vê a força dos juros compostos, só que ao contrário.

Assim, é essencial compreender o que são juros compostos e porque é importante guardar para ganhá-los e se planejar para não os ver contra você.

No texto de hoje vamos aprender:

  • O que são juros compostos;
  • Para que servem os juros compostos;
  • Como calcular juros compostos;
  • Diferença entre juros compostos e juros simples;
  • Períodos de capitalização.

Abra sua conta na Grão: Rende mais e também mais seguro que a poupança

O que são juros compostos?

A palavra “juros” é bastante conhecida dos brasileiros, mas nem sempre pelas melhores razões.

Ou seja, ainda é mais comum associarmos mais os juros com as dívidas do que com o hábito de guardar dinheiro.

Assim, há quem associe o conceito de juros a algo negativo, como se eles em si fossem ruins.

Não é bem assim. Se você usar os juros a seu favor, você pode acelerar a criação de riqueza.

Isso porque os juros compostos são basicamente juros calculados sobre juros, o que com o tempo acelera a criação de patrimônio.

Por exemplo, quando você guarda dinheiro aqui na Grão, os juros compostos se transformam em seus aliados.

Aqui seu dinheiro vai render todo dia útil e sob o efeito dos juros compostos.

Tempo, o melhor amigo dos juros compostos

O tempo é o melhor amigo dos juros compostos, afinal de contas quanto mais tempo você guarda, maior será o efeito dos juros sobre juros.

O conceito por trás desta afirmação envolve um pouco de matemática, no que chamamos de progressão geométrica.

Por enquanto, fique tranquilo com a questão dos números, pois mais abaixo vamos mostrar alguns exemplos.

Pense que se os juros incidem todo dia útil no montante guardado, a cada dia que passa esse efeito se acelera.

Logo, quanto mais dias de dinheiro guardado e quanto mais aportes, melhor. Só assim você vai permitir que o tempo faça sua parte.

Para que servem os juros compostos?

Os juros são o movimento do dinheiro no tempo, ou seja, o quanto eles mudam com o passar dos dias/meses/anos.

Em outras palavras, se você guardar dinheiro hoje de forma conservadora, terá uma expectativa de retorno.

A rentabilidade é a representação dos juros na sua escolha da aplicação de menor risco. É quanto seu dinheiro vai crescer ao longo do tempo.

Mas isso também serve para as dívidas. Se você estiver usando o cheque especial ou rotativo do cartão, atenção.

Nestes casos, o banco está emprestando um montante que terá que ser devolvido com o pagamento de juros.

Assim, quanto mais tempo você demorar para pagar, mais vai pagar de juros quando puder liquidar a dívida.

Como calcular juros compostos?

Que tal falarmos de um pouquinho de matemática agora? Entender a fórmula dos juros compostos é importante para os exemplos.

A fórmula é:

Fórmula juros compostos

FORMULA JUROS COMPOSTOS

Onde:

  • M = Montante (ou resultado)
  • C = Capital inicial
  • i = Taxa de juros aplicada
  • t = Tempo (duração do investimento)

Fique tranquilo(a), com um exemplo a aplicação da fórmula ficará bem clara.

Suponha que você guardou R$ 1000,00 na Grão, com rendimento anual de 1,91% (dado de setembro de 2020):

Neste caso, R$ 1.000,00 é a letra C da fórmula, ou capital inicial; e 1,91% é a letra i da fórmula, os juros. A letra t é o tempo:

  • Em um ano, você terá R$ 1.019,37;
  • Dois anos depois, R$ 1.039,11;
  • Cinco anos depois, R$ 1.100,67;
  • Dez anos depois, R$ 1.211,48.

Quanto mais tempo, mais os juros trabalham a favor do seu dinheiro e o patrimônio passa a crescer com mais vigor.

Diferença entre juros compostos e juros simples

Os juros simples aumentam o valor apenas com base no valor inicial, não no valor corrigido pelos juros ao longo do tempo.

Portanto, os juros simples representam uma remuneração em determinado período, mas com base apenas no valor inicial emprestado.

Por exemplo, se você emprestar R$ 1.000,00 para um amigo, vai usar os juros simples para receber de volta.

Você vai definir um valor de juros e o amigo terá que devolver com essa correção.

Nos juros simples, a fórmula é a seguinte:

Fórmula juros simples

FORMULA JUROS SIMPLES

Onde:

  • M = Montante (ou resultado)
  • C = Capital inicial
  • i = Taxa de juros aplicada
  • t = Tempo (duração do investimento)

Se os juros da aplicação fossem simples, para o mesmo valor de R$ 1.000,00 do exemplo anterior, com juros de 1,91%, teríamos:

  • Um ano depois, você terá R$ 1.019,10;
  • Em dois anos, serão R$ 1.038,20;
  • Em cinco anos, R$ 1.095,50;
  • E em dez anos, R$ 1.191,00.

Repare que com o tempo, os juros compostos aceleram os ganhos em relação aos juros simples:

Depois de cinco e dez anos, o montante final é maior na simulação com juros compostos e isso tende a aumentar com juros maiores e mais prazo.

Período de capitalização dos juros compostos

Uma coisa importante a compreender sobre juros compostos são os períodos de capitalização.

Por exemplo, em uma aplicação durante 6 meses, à taxa de juros de 0,2% ao mês, temos 6 períodos de capitalização (mensal).

Ou seja, essa aplicação vai render seis vezes com juros sobre juros a cada período de um mês.

A capitalização pode ser diária também, como acontece na Grão e em outras aplicações de renda fixa.

Assim, todo dia útil juros incidem sobre o valor do saldo – e este saldo teve juros do dia anterior.

Exemplo de cálculo de juros compostos

Vamos calcular o resultado de uma dívida de R$ 12.000,00, não paga durante 3 anos e com juros de 1,5% ao mês. Assim:

  • M = ?
  • C = 12.000
  • i = 1,5% = 1,5/100 = 0,015
  • t = 3 anos = 36 meses (pois a taxa de juros é com capitalização mensal)

Aplicando a fórmula, temos:

  • M = C*(1 + i)t
  • 12000*(1 + 0,015)36
  • 12000 *1,01536
  • 12000*1,70914
  • M = 20.509,68

Neste caso, o valor final acumulado devido será de R$ 20.509,68. Muito, né? Por isso é melhor não fazer dívidas.

Use os juros compostos a seu favor

Como você viu, usar a matemática dos juros a seu favor é tão importante quanto evitar dívidas.

Com a Grão, você guarda dinheiro de um jeito simples e fácil e ainda vê seu saldo render todo dia útil.

Confira o video em que explicamos mais sobre juros compostos:

#boraguardar na Grão

A equipe Grão está sempre pronta para ajudar você a fazer do dinheiro um aliado para conquistar seus objetivos.

Hoje você aprendeu tudo sobre juros compostos, juros simples e porque vale a pena guardar dinheiro na Grão.

Todos os dias você vai encontrar dicas, sugestões, artigos, ferramentas e muita informação de qualidade nas nossas redes sociais. Então siga-nos no Instagram, Facebook e Youtube.

Para nós, guardar dinheiro é importante e queremos que você aprenda a criar sua reserva financeira do jeito certo.

Baixe nosso App e experimente a jornada de educação financeira que preparamos para você.

App Grão é gratuito e está disponível para celulares Android e iOS (Apple).

Vem pra Grão!

Photo by Ashraf Ali on Unsplash

Leia também

2 comentários

  • Responder

    […] seja, o aniversário da poupança é a data mensal em que os juros compostos são adicionados ao dinheiro […]

  • Responder

    Ola bom dia eu ja conhe co um pouco disto fiz curso na empire acho que e este o nome aprendir muito , fiz curso de investimento na xp também e que aqui em nosso pais nao da para confiar pois e um pais de muitas incertezas . E nao e confiável.

Deixe seu comentário

Comece a poupar com a Grão