Fundo Previdenciário - Grão

O que é e Como Funciona o Fundo Previdenciário?

Você provavelmente já ouviu falar de fundo previdenciário, certo? Mas, você sabe o que ele é de fato e para que serve?

Ao longo deste artigo, vou te explicar como funciona esse tipo de fundo. Além disso, você também vai ver quais são as vantagens e desvantagens de contratar um.

Já que, quando bem escolhido, ele pode ser uma boa alternativa ou complemento para a aposentadoria do INSS.

E convenhamos, quem não quer ter um futuro tranquilo e confortável, não é mesmo? Por isso, já pegue o seu bloquinho de notas e anote tudo o que precisa saber sobre o assunto.

Bem informado, ficará muito mais fácil escolher que tipo de serviço contratar. Então, vamos lá!

O que é um fundo previdenciário?

Em resumo, um fundo previdenciário nada mais é do que um plano de previdência privada. E empresas do setor financeiro fazer a administração.

No entanto, ele não precisa, obrigatoriamente, servir apenas como aposentadoria. Também serve para juntar dinheiro para objetivos de longo prazo, como a compra de um imóvel ou a faculdade dos filhos.

Por isso, o fundo de previdência não tem idade. Ou seja, pode ser feito tanto para jovens, quanto para adultos e até mesmo idosos.

Contanto que o seu objetivo seja para um prazo acima de 6 anos, está valendo.

Além disso, como o próprio nome já diz, estamos falando de um fundo de investimentos. 

Isto é, um investimento de longo prazo em que o seu dinheiro vai acumular para a aposentadoria. Para isso, um grupo de gestores escolhe os investimentos específicos.

Por isso, é muito importante escolher um fundo que conte com bons profissionais para administrar o seu dinheiro.

Fundo Previdenciário - Grão
Crédito: Pexels

Como funciona?

O fundo previdenciário funciona por meio de contribuições mensais dos adquirentes. Ou seja, as pessoas aplicam seus recursos ao longo da vida de trabalho para, no futuro, colher os frutos.

O patrimônio cresce pela ação dos juros compostos, que fazem o dinheiro render ao longo do tempo. 

Além disso, dependendo do tipo de investimento utilizado pelo fundo, é possível lucrar com outros fatores. Como valorização e distribuição de dividendos de ações, flutuações do câmbio, entre outros.

Por conta disso, quanto antes a pessoa contratar um fundo previdenciário, melhor. Afinal, além de ter mais tempo para acumular com aportes, seu dinheiro também vai render mais juros.

Outro ponto importante aqui é que o fundo de previdência possui duas fases:

  • A de acumulação, quando o adquirente aporta recursos para construir seu patrimônio e quem administra o dinheiro é a instituição financeira;
  • A de usufruto, quando o titular do fundo aproveita os recursos acumulados ao longo da vida.

Vale a pena ter um fundo previdenciário?

Ok, agora você já sabe como esse tipo de plano de aposentadoria funciona, mas será que vale a pena mesmo?

Assim como tudo na vida, o fundo previdenciário também tem seus pontos positivos e negativos. 

Por isso, para te ajudar na sua decisão sobre contratar ou não um, vamos listar algumas das vantagens e desvantagens desse tipo de serviço. Vamos lá:

Vantagens do fundo previdenciário

  • Maior autonomia do que na aposentadoria do INSS. Ao final do período estipulado, você pode receber todo o valor corrigido de uma vez ou através de pagamentos mensais. Tudo depende da sua escolha e do contrato, é claro;
  • Após a reforma da previdência, a aposentadoria pública se tornou mais limitada. Por isso, o fundo previdenciário oferece, na maioria das vezes, valores mais atrativos. Ideal quem busca manter ou melhorar o padrão de vida mantido durante a vida produtiva de trabalho;
  • Hoje, existem opções de alta rentabilidade para esse tipo de fundo. Isso porque alguns deles têm até 70% da sua composição na renda variável o que, aliado ao longo prazo de investimento, pode trazer altas rentabilidades;
  • Gestão profissional dos seus investimentos. Afinal, nada melhor do que uma equipe especializada para saber onde buscar bons retornos, certo?;
  • Garantia de renda no futuro, já que o INSS depende de fatores como tempo de contribuição, idade, etc. No fundo previdenciário, se você paga direitinho, sabe que terá direito a receber lá na frente quando mais precisar;
  • Tranquilidade e conforto. Você não precisa se preocupar em ficar investindo e estudando sobre mercado financeiro o tempo todo para tomar boas decisões. Basta aplicar mensalmente o valor estipulado e este pode ser feito até via débito automático;
  • É livre de come-cotas, aquele imposto de renda semestral;
  • É um bom investimento para fazer transmissão de patrimônio, já que pode ser liberado rapidamente aos sucessores indicados pelo beneficiário.

Desvantagens do fundo previdenciário

  • As taxas do fundo podem diminuir um pouco a sua rentabilidade comparado com investir diretamente;
  • Esses tipos de fundos são tributáveis. Ou seja, você precisará pagar impostos sobre os rendimentos;
  • Você não tem autonomia para escolher os investimentos. Tudo é feito pelos gestores do fundo e, caso eles não façam um bom trabalho, sua rentabilidade pode cair. Por isso, é importante escolher bem o fundo e a instituição financeira;
Fundo Previdenciário - Grão
Crédito: Pexels

Quais são as taxas cobradas?

Geralmente, são aplicadas três tipos de taxas aos contratantes de fundos previdenciários. São elas: 

  • Taxa de administração: é cobrada pela gestão do fundo de investimento, que pode variar de 1% a.a. até 5% a.a; 
  • Taxa de carregamento: pode incidir sobre as contribuições feitas ao plano de previdência. Em alguns casos, também é chamada de taxa de entrada; 
  • Taxa de saída: é a taxa cobrada por alguns fundos sobre o valor resgatado do plano de previdência, na hora do usufruto
  • Taxa de performance: ela pode surgir caso o plano supere certo benchmark estipulado inicialmente.

Por isso, preste muita atenção na hora de contratar o serviço. Leia todas as regras e tire todas as suas dúvidas com o corretor da instituição. Assim você evita surpresas inesperadas.

Tipos de fundos previdenciários

Existem dois tipos de fundos de previdência: PGBL e VGBL. Eles se distinguem na tributação e nos descontos.

O fundo tipo Vida Gerador de Benefício Livre (VGBL) tem o Imposto de Renda incidido sobre os rendimentos do valor investido. 

Dessa forma, o desconto só acontece em cima do valor gerado como renda e não sobre o valor investido. 

Já no fundo tipo Gerador de Benefício Livre (PGBL), o desconto é integral. Isso significa que o Imposto de Renda é descontado sobre o valor total, considerando o dinheiro aplicado e os rendimentos.

Bom, então o VGBL é sempre melhor do que o PGBL? Não. Existe mais um fator a ser considerado.

No fundo PGBL é possível fazer a dedução de até 12% da renda anual. Ou seja, ele é um produto considerado na declaração do Imposto de Renda e pode gerar descontos na tributação.

Como escolher?

Se você pagar o Imposto de Renda direto na fonte, a melhor opção é o PGBL. Afinal, ele pode te render descontos na declaração anual. 

Agora, se você não declara o Imposto de Renda ou declara um valor baixo, o VGBL é ideal para você.

Caso tenha dificuldades em medir isso, sugerimos que você peça ajuda de um contador. Ele pode te indicar de forma mais clara como a rua renda se encaixa em cada plano.

Além disso, vale lembrar que é possível optar pelo regime progressivo ou regressivo de tributação. 

Analise bem cada caso para saber qual é mais confortável para você. Essa é uma decisão importante, afinal, é impossível alterar da tabela regressiva para a progressiva depois de contratado o serviço.

Fundo Previdenciário - Grão
Crédito: Pexels

Como receber?

Para resgatar o valor do seu fundo previdenciário é importante se atentar aos prazos do contrato. 

Alguns planos oferecem uma data mínima de resgate e então fica a critério do contratante contribuir pelo tempo mínimo ou por mais tempo.

Lembrando que, quanto mais tempo você aplicar o seu dinheiro no fundo, mais você terá retorno na hora de receber.

Para ter acesso ao dinheiro, você precisará comunicar à instituição financeira do fundo quando quer receber.

Saque do fundo previdenciário

Para sacar o fundo previdenciário, você pode optar por receber o valor integral de uma só vez ou receber mensalmente.

Ao optar por receber mensalmente, você vincula uma conta bancária para o recebimento. Geralmente uma conta aberta na instituição responsável pelo fundo.

Assim, o valor é depositado na sua conta mensalmente de forma vitalícia.

Conclusão

Pensar no futuro é um exercício indispensável para garantir uma boa qualidade de vida. Planejar e se prevenir nunca é demais.

O fundo previdenciário pode ser uma ótima opção para a sua aposentadoria, sua sucessão de patrimônio ou até para conquistar um objetivo de longo prazo.

No entanto, é importante se atender às especificidades de cada produto e cada instituição financeira. 

Tenha certeza de que ele te trará uma boa rentabilidade e que ela não será “comida” por um monte de taxas.

Avalie sem pressa, faça todas as contas necessárias e boa sorte!

E se você quer melhorar suas finanças, conte com a Grão. Todos os dias trazemos dicas financeiras nas nossas redes sociais: Instagram, Facebook e YouTube.

Por fim, baixe grátis o aplicativo Grão e comece agora a juntar dinheiro! O app é gratuito e está disponível nas principais lojas de aplicativos Google Play ou App Store.

Leia também

Deixe seu comentário

Comece a poupar com a Grão