fbpx

Como calcular a sua renda bruta tributável para investir em PGBL?

Investir em PGBL, como calcular?
Reading Time: 4 minutes

A previdência privada PGBL (Plano Gerador de Benefício Livre) é uma alternativa de investimento que oferece diversos benefícios, sendo o principal deles a possibilidade de dedução do Imposto de Renda (IR). 

Neste artigo, vamos explorar detalhadamente o funcionamento desse tipo de previdência, destacando a vantagem fiscal que ela proporciona e, principalmente, respondendo a uma das principais dúvidas de investidores deste modelo: como calcular a renda bruta tributável para investir no PGBL de forma inteligente?

O que é uma previdência PGBL?

O PGBL é um plano de previdência privada que permite ao investidor construir uma reserva financeira para o futuro. Ele é uma excelente opção para quem deseja complementar a previdência oficial (INSS) e garantir uma aposentadoria mais tranquila e confortável. 

Ao investir em um PGBL, você contribui periodicamente e acumula um montante que poderá ser utilizado como complemento de renda na aposentadoria.

Como funciona a dedução do IR ao investir em PGBL?

Uma das principais vantagens do PGBL é a possibilidade de dedução do Imposto de Renda. Essa dedução ocorre de forma bastante atrativa e pode gerar uma economia significativa ao longo do tempo. Para entender melhor como funciona, considere o seguinte cenário:

Suponhamos que sua renda bruta tributável anual seja de R$100.000,00. Se você optar por investir o máximo permitido de 12% dessa renda bruta em um PGBL, que equivale a R$12.000, o valor tributável para fins de Imposto de Renda passará a ser R$88.000 (100.000 – 12.000). Isso significa que você pagará menos impostos no ano em que fez o investimento.

Afinal, a sua base de cálculo vai ser menor e, consequentemente, a alíquota de imposto de renda será aplicada também sobre um montante menor, gerando uma maior dedução e, por muitas vezes, aumentando a restituição do investidor. 

Inclusive, caso queira calcular o quanto pode deduzir de acordo com o seu salário, clique e acesse a calculadora do PGBL da Grão

Entretanto, é importante lembrar que essa dedução está sujeita a pré-requisitos. Para aproveitar o benefício, o investidor precisa contribuir para a previdência social, fazer a declaração no modelo completo e, principalmente, respeitar o limite de 12% da renda bruta tributável. 

Essa dedução inteligente é uma maneira de direcionar parte dos seus recursos para o futuro, enquanto reduz a carga tributária no presente.

O que é renda bruta tributável?

Uma dúvida comum a investidores com interesse em investir no PGBL é entender o que é e o que pode ser considerado como renda bruta tributável. A seguir, vamos explicar para você.

A renda bruta tributável é a base de cálculo sobre a qual incide o Imposto de Renda. Ela engloba todos os rendimentos e proventos recebidos pelo contribuinte ao longo do ano, sejam eles provenientes de salários, aluguéis, investimentos, atividades autônomas ou outros. 

Compreender o conceito de renda bruta tributável é fundamental para realizar um planejamento financeiro eficiente e otimizar os benefícios fiscais do PGBL.

O que é considerado renda bruta tributável e o que não é?

Para calcular corretamente a renda bruta tributável, é essencial entender quais tipos de rendimentos devem ser considerados e quais não entram nessa base de cálculo. Veja abaixo alguns exemplos dos dois tipos. 

É considerado renda bruta tributável

– Salários e proventos: todas as formas de remuneração pelo trabalho assalariado, como salários, soldos, férias, remuneração de estagiários, vencimentos e honorários.

– Rendimentos de aluguel: valores recebidos pelo aluguel de propriedades, como locação ou sublocação.

– Atividades autônomas e prestação de serviços: valores recebidos por serviços prestados de forma independente, como comissões e corretagens.

– Pensões tributáveis: para filhos, cônjuges, herdeiros, entre outros.  

– Benefícios recebidos de previdência privada.  

Não é considerado renda bruta tributável

Por outro lado, existem rendimentos que não são tributáveis e, portanto, não entram na base de cálculo da renda bruta tributável, tais como:

– 13º salário: pois este rendimento tem tributação exclusiva.

– Participação dos trabalhadores nos lucros ou resultados da empresa: de acordo com a Lei nº 12.832/2013.

– Reembolsos de despesas.

– Indenizações por danos morais: valores recebidos como compensação por danos morais.

– Indenizações trabalhistas: são isentas de imposto de renda. Entra aqui também inclusive vendas de dias de férias.

– Heranças e doações: valores recebidos por heranças, legados ou doações.

– Aposentadorias por invalidez: pagamentos de aposentadorias por motivos de saúde.

Informação importante: vale lembrar que podem existir empresas que pagam PLR aos funcionários, mas chamam informalmente de “bônus”. 

É preciso certificar-se se o “bônus” periódico da companhia em que você trabalha pode ser abatido no PGBL. 

Essa informação pode ser obtida em seu holerite ou perguntando ao RH ou fiscal da empresa se a tributação incidente é exclusiva. 

Se a tributação incidente for exclusiva, não poderá ser considerado em abatimento fiscal no PGBL. Se não for exclusiva, poderá ser abatida

Como calcular a sua renda bruta tributável para investir em PGBL?

Calcular a renda bruta tributável é um processo fundamental para determinar o montante que você pode investir no PGBL com dedução do Imposto de Renda. Siga os seguintes passos para realizar esse cálculo de forma eficiente:

1. Some todos os seus rendimentos tributáveis do ano, incluindo salários, aluguéis, atividades autônomas e outras fontes de renda.

2. O valor resultante é a sua renda bruta tributável.

3. Calcule 12% desse valor. Esse é o limite máximo que você pode investir no PGBL com dedução do Imposto de Renda.

Ao seguir esse processo, você terá uma visão clara da sua renda bruta tributável e poderá tomar decisões informadas sobre o valor a ser investido no PGBL, aproveitando ao máximo os benefícios fiscais disponíveis.

Conclusão

Investir em um Plano Gerador de Benefício Livre (PGBL) pode ser uma estratégia inteligente para garantir uma aposentadoria mais confortável e, ao mesmo tempo, reduzir a carga tributária presente. 

A possibilidade de dedução do Imposto de Renda é um atrativo importante desse tipo de previdência privada, e compreender como calcular a renda bruta tributável é essencial para aproveitar esse benefício da melhor maneira possível.

Ao seguir os passos apresentados neste artigo para calcular a sua renda bruta tributável, você estará apto a tomar decisões financeiras mais embasadas, direcionando seus investimentos de forma estratégica e otimizando a dedução do Imposto de Renda ao investir no PGBL. 

Lembre-se sempre de buscar orientação profissional para garantir que suas escolhas estejam alinhadas aos seus objetivos financeiros de longo prazo. Com planejamento e conhecimento, você estará no caminho certo para construir um futuro financeiro sólido e seguro.

Dúvidas sobre como calcular a sua renda bruta tributável para investir em PGBL? Mande um e-mail para “especialistas@grao.com.br” que vamos te ajudar!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *