Análise SWOT: como usá-la em suas finanças

O que é análise SWOT e como usar nas suas finanças

A análise SWOT é conhecida por ser uma ferramenta de gestão muito presente em estratégias internas e externas das empresas.

De fato, ela ajuda no planejamento estratégico de novos projetos e para avaliar projetos, principalmente de marketing.

No entanto, você também pode usar a matriz SWOT para cuidar do seu dinheiro, guardar mais e realizar seus objetivos.

Então, se você quer conhecer mais sobre isso e como faz a análise SWOT pessoal no seu dinheiro, continue a leitura.

O que é análise SWOT?

Conforme dissemos acima, a função da análise SWOT é ajudar no planejamento estratégico e na gestão de projetos.

Mas também é possível fazer uma SWOT pessoal e até mesmo das suas finanças.

Antes de mais nada, o significado da sigla SWOT é:

  • S (Strengths, em inglês) = Forças
  • W (Weaknesses, em inglês) = Fraquezas
  • O (Opportunities, em inglês) = Oportunidades
  • T (Threats, em inglês) = Ameaças

Por isso, ela também é conhecida como análise FOFA, pela tradução para o português.

Na prática, essa ferramenta serve para analisar cenários de gestão de projetos e embasar a tomada de decisões.

Ou seja, você cria uma matriz com quatro quadros e faz um diagnóstico completo de uma determinada situação.

Empresas podem usar, por exemplo, para mudar um produto para reduzir as fraquezas ou para aproveitar alguma oportunidade.

O que é análise SWOT pessoal?

De fato, a SWOT pode ser usada em qualquer projeto, seja de empresa ou pessoal. Assim, a análise SWOT pessoal permite que você se conheça mais.

Ou seja, você poderá se autoavaliar de forma mais estratégica e, com isso, terá mais segurança para tomar decisões.

O que é análise SWOT de uma empresa?

Uma empresa pode fazer a análise SWOT para definir uma posição estratégica, melhorar serviços e produtos ou ainda para solucionar problemas.

Certamente, as empresas têm muito a ganhar avaliando estrategicamente suas forças e fraquezas, oportunidades e ameaças.

Desse modo, elas conseguem implementar práticas que minimizem as ameaças e que estimulem as oportunidades.

Por que a análise SWOT é importante?

A importância da análise SWOT está na tomada de decisões tanto das empresas como das pessoas.

Ao saber suas forças e fraquezas, você consegue tomar atitudes para mudar o que te atrapalha e estimular o que ajuda.

Além disso, a análise FOFA serve para tirar do papel as ideias. Assim como seus objetivos financeiros, você pode usar a SWOT para realizar seus projetos e sonhos.

Como fazer análise SWOT pessoal?

Para que você possa fazer a análise SWOT pessoal das suas finanças, vai precisar levar em consideração dois pontos:

Fatores internos

Esses fatores envolvem:

  • Capacidades intelectuais;
  • Relacionamentos;
  • Habilidades técnica;
  • Competências intrapessoais.

Em seguida, esses fatores deverão ser avaliados conforme as forças e fraquezas. 

As forças são tendências que cada um tem e que podem ajudar nas conquistas dos objetivos pessoais. 

Se você é formado, por exemplo, ou tem experiência no mercado, pode colocar tudo isso no espaço Forças.

Por outro lado, as fraquezas são pontos de atenção, que nos dá consciência de onde melhorar.

Só para ilustrar, uma fraqueza pode ser relacionamentos que te fazem gastar demais, ou a falta de educação financeira.

Dessa forma, você já sabe o que pode ser modificado para melhorar sua relação com o dinheiro.

Fatores externos

O outro ponto a considerar são os fatores externos, que são ligados ao ambiente em que você vive. Neste caso, eles devem ser pontuados em oportunidades e ameaças.

Assim, as oportunidades são características ou situações que ajudam a atingir os objetivos. Por outro lado, as ameaças são os obstáculos, ou seja aquilo que te impedem de alcançar suas metas.

Para que você consiga visualizar melhor, confira a imagem abaixo.

Análise SWOT - Grão

SWOT pessoal na organização financeira

A mesma linha de raciocínio que você usa para fazer análise SWOT pessoal serve para a organização financeira.

De fato, o propósito não muda, ela continua sendo uma ferramenta estratégica. A única diferença é que acrescentamos o dinheiro e, assim, pensamos mais objetivamente as finanças.

  1. Em primeiro lugar, comece a rever sua relação com o dinheiro usando a estrutura da SWOT.
  2. Logo depois, monte uma tabela com os fatores internos e externos que você levantou na sua autoanálise.

Por exemplo, imagine que uma pessoa tem um bom salário e consegue terminar o mês com um pouco de sobra.

Assim, ela paga todas as contas em dia, mas sempre aparece um gasto extra e acaba não guardando nada. A saber, o maior ralo de gastos é o cafezinho no final da tarde.

Embora essa pessoa tenha as contas em dia, ela sabe que precisa melhorar a relação com as finanças. Em outras palavras, não tem educação financeira.

Ela precisa guardar dinheiro para montar um estúdio de produção em 3 anos. Já começou a investir, mas precisa juntar mais.

Ao colocar essas informações, a matriz SWOT deste exemplo ficará assim:

Análise SWOT - Grão

Desse modo, fica mais fácil visualizar os pontos que poderiam passar despercebidos.

Conclusão

Essa tática de usar a análise SWOT pessoal para as finanças pode abrir seus olhos de maneira muito mais estratégica.

Como resultado, você conseguirá juntar mais dinheiro e realizar seus objetivos muito mais rápido.

E se precisar, o app Grão te ajuda nas forças e fraquezas. De um lado, te ajuda a guardar com rentabilidade melhor que na poupança

Por outro lado, te dá opção de guardar automaticamente para evitar a fraqueza de gastar sem perceber.

E se você quer melhorar suas finanças, conte com a Grão, a conta digital para guardar dinheiro. Todos os dias trazemos dicas de educação financeira nas nossas redes sociais: Instagram, Facebook e YouTube.

Por fim, baixe grátis o aplicativo Grão e comece agora a juntar dinheiro! Com o Pix, você transfere mais rápido e sem pagar nada. O app é gratuito e está disponível nas principais lojas de aplicativos Google Play ou App Store.

Leia também

Deixe seu comentário

Comece a poupar com a Grão