Guardar dinheiro para dar entrada maior? Sempre!

Reserva de Emergência? Nem sabe o que é?

É fácil começar, mesmo que o assunto nunca tenha passado pela sua cabeça. O primeiro passo é criar o hábito de poupar

Falar sobre o que não podemos prever é, de certa forma, pensar um pouco na vida como ela é — com muitos imprevistos, surpresas boas e também questões emergenciais.

Claro que não vamos parar de nos lançar em busca de nossos sonhos ou nossas aventuras por medo de que algo aconteça no meio do caminho. Mas simplesmente não pensar no imprevisto é um passo para se enroscar.

Quem vai na base do “deixa a vida me levar, vida leva eu…”, um dia pode cair na armadilha dos empréstimos, dos juros altíssimos do cartão e do cheque especial.

Por mais que a gente não preveja uma ida ao pronto-socorro, um equipamento que quebra ou a perda do emprego, dá para conviver com os imprevistos.

O que é reserva de emergência?

Já ouviu falar em reserva de emergência? Essa medida financeira é um tipo de remédio que previne as tais armadilhas, e está ao alcance de todos, inclusive de você — mesmo que a sua renda mensal teime em dizer o contrário.

A reserva nada mais é do que o oxigênio extra para eventualidades. O ideal dos mundos, preconizado pelos especialistas em finanças pessoais, é que essa reserva seja de seis meses equivalentes ao total de despesas mensais.

Caso consiga guardar mais, melhor. Há quem recomende formar um colchão de segurança de 12 meses para situações inesperadas, como desemprego ou doenças graves, principalmente se você for autônomo ou profissional liberal.

A gente sabe que nem sempre é possível atingir essa meta. Mas, imaginando que, de uma hora para outra você não conte mais com o seu salário, ter três meses de fôlego para tentar resolver o problema com um mínimo de tranquilidade já é alguma coisa.

E não existe grandes complicações na organização. Determine um valor viável para o seu orçamento e todo mês, (sem falhar, de preferência!) e  reserve. Para dar uma ideia do resultado, se destinar 10%, em um ano terá, no mínimo, um salário.

Claro que você não vai deixar esse valor parado na conta corrente, nem mesmo na poupança. Não vale a pena. [Leia o post Você sabe por que o Tesouro Selic ganha disparado da poupança?]

A ideia, aqui, é que a grana cresça. Mesmo sem ter familiaridade com o universo dos investimentos, é fácil fazer o dinheiro aumentar. Na Diin, com R$ 1,00, já dá para iniciar. Obviamente, quanto mais conseguir poupar, melhor.

Pensando em termos de  futuro, criar uma reserva de emergência é um hábito essencial como cuidar da saúde.

E, por ter esse sentido de prevenção, uma vez que decida montar a sua reserva, só lance mão desse recurso em caso de emergência. Para não por a perder todo o seu empenho. E, principalmente, para lidar com os imprevistos sem perder o sono.

E, sem querer ser chata, nesse tema não vale procrastinar!

Foto de cottonbro no Pexels

Leia também

Deixe seu comentário

Comece a poupar com a Grão