fbpx

FIDC: o que é e como funciona?

Fidc o que é (Foto: Pixabay)
Reading Time: 4 minutes

Os Fundos de Investimento em Direitos Creditórios, ou FIDCs, são uma opção de investimento disponível no mercado financeiro brasileiro desde a década de 90. 

Essa modalidade de investimento consiste na compra de direitos creditórios de empresas, ou seja, o FIDC adquire títulos de dívida emitidos por empresas e passa a receber os pagamentos desses títulos.

Neste artigo, vamos explicar o que é FIDC, como funciona, quais as suas principais vantagens e desvantagens, além de abordar como eles são aplicados em fundos de renda fixa e em fundos de previdência privada de renda fixa.

O que é FIDC?

Os Fundos de Investimento em Direitos Creditórios (FIDCs) são uma forma de investimento coletivo em que os investidores compram cotas do fundo, que são geridas por um gestor profissional. Esses fundos investem em direitos creditórios, ou seja, recebíveis de empresas. 

Os direitos creditórios são títulos emitidos por empresas que representam o direito de receber o pagamento de uma dívida, como duplicatas, cheques, notas promissórias e outros.

O gestor do fundo é responsável por analisar os direitos creditórios disponíveis no mercado, selecionar os mais adequados para compor a carteira do fundo e monitorar o desempenho do fundo ao longo do tempo. O objetivo do gestor é maximizar os rendimentos do fundo e minimizar os riscos, buscando sempre a melhor relação entre rentabilidade e segurança.

Como funcionam os FIDCs

Agora que você sabe o que é FIDC, vamos explicar como funcionam. Na prática, a sua operação é muito similar a outros tipos de fundos de investimento, como os Fundos de Investimento Imobiliário (FIIs) e os Fundos de Investimento em Ações (FIAs). Os investidores compram cotas do fundo e o dinheiro é utilizado para a aquisição dos direitos creditórios selecionados pelo gestor. 

Quando os títulos de dívida se tornam devidos, os pagamentos são recebidos pelo FIDC, que distribui os rendimentos proporcionalmente entre os cotistas.

Existem diferentes tipos de FIDCs, que podem ser classificados de acordo com os direitos creditórios que adquirem. Eles podem investir em recebíveis de diferentes setores, como comércio, indústria, serviços, entre outros. Também podem investir em títulos de dívida de diferentes prazos, desde curto até longo prazo.

Principais vantagens dos FIDCs

Os FIDCs apresentam algumas vantagens em relação a outros tipos de investimento em renda fixa. 

A primeira delas é a possibilidade de diversificação da carteira de investimentos. Ao investir em um FIDC, o investidor tem acesso a uma grande variedade de títulos de dívida de diferentes empresas, o que ajuda a diluir os riscos.

Outra vantagem é a possibilidade de investir em empresas que não estão listadas na bolsa de valores. Muitas empresas que emitem títulos de dívida para os FIDCs são empresas de médio e pequeno porte que não têm capital aberto na bolsa de valores. Dessa forma, o investidor tem acesso a um leque mais amplo de oportunidades de investimento.

Além disso, os FIDCs podem apresentar rendimentos superiores a outros investimentos em renda fixa, como CDBs e títulos públicos. Isso porque os títulos de dívida adquiridos pelos FIDCs têm uma rentabilidade mais atrativa, devido ao maior risco envolvido.

Principais desvantagens dos FIDCs

Apesar das boas vantagens citadas acima, os FIDCs também apresentam algumas desvantagens que precisam ser consideradas pelos investidores. 

A primeira delas é o risco de crédito. Como os FIDCs investem em títulos de dívida emitidos por empresas, há sempre o risco de que essas empresas não cumpram com suas obrigações financeiras, o que pode levar a perdas para os cotistas do fundo.

Outra desvantagem é a falta de liquidez. Como os FIDCs são investimentos de longo prazo, não é fácil resgatar o dinheiro investido em caso de necessidade. A maioria dos FIDCs têm prazo mínimo de resgate de 60 dias, o que pode ser um problema para investidores que precisam do dinheiro com maior agilidade.

Imagem de celular com app Grão aberto para começar a investir na previdência

Como são aplicados em fundos de renda fixa

Os FIDCs são frequentemente utilizados em fundos de renda fixa para aumentar a diversificação da carteira e melhorar a rentabilidade do fundo. 

Em fundos de renda fixa, são uma alternativa interessante para investir em crédito privado, já que os títulos de dívida adquiridos pelos FIDCs costumam apresentar uma rentabilidade mais atrativa do que os títulos públicos.

Os fundos de renda fixa que investem em FIDCs geralmente têm uma exposição maior ao risco de crédito, já que os títulos de dívida adquiridos têm um risco maior do que os títulos públicos. No entanto, essa exposição ao risco é controlada pelo gestor do fundo, que busca sempre a melhor relação entre rentabilidade e segurança.

Como são aplicados em fundos de previdência privada de renda fixa

Os FIDCs também são utilizados em fundos de previdência privada de renda fixa, que são uma opção de investimento para quem quer garantir uma renda no futuro. Mesmo que os dois tipos de produto tenham características diferentes, os FIDCs também são utilizados na previdência privada para aumentar a rentabilidade do fundo.

Os fundos de previdência privada de renda fixa que investem em FIDCs geralmente têm uma exposição menor ao risco de crédito do que os fundos de renda fixa. Isso porque a previdência privada é um investimento de longo prazo, ou seja, como os seus investidores já aplicam dinheiro pensando em um horizonte de prazo maior, a menor liquidez não será um problema.

Além disso, de modo geral, os gestores dos fundos de previdência procuram investir em títulos de dívida de empresas com baixo risco de inadimplência.

Vale lembrar ainda que existem fundos de previdência que são FoFs (fundos de fundos), como é o caso da ARCA Previdência Multimercado e a ARCA Previdência Renda Fixa, da Grão. 

Esse tipo de fundo investe o patrimônio dos investidores em outros fundos, como fundos de renda fixa, ações, imobiliários, entre outros. 

Sendo assim, isso significa que esses FoFs podem investir nos FIDCs por meio de fundos de renda fixa que possuam esse tipo de ativo na carteira. 

Conclusão

Os FIDCs são uma opção interessante de investimento em renda fixa para investidores que buscam diversificação da carteira e rentabilidade acima da média. No entanto, é importante lembrar que eles apresentam riscos, como o risco de crédito e a menor liquidez. 

Por isso, antes de investir, é importante avaliar cuidadosamente os riscos e benefícios desse tipo de investimento e buscar orientação de um profissional especializado. 

Vale ressaltar que os FIDCs são indicados para investidores mais experientes e que têm uma visão de longo prazo em relação aos seus investimentos. Com uma estratégia de investimento sólida e uma análise criteriosa, podem ser uma opção interessante para quem busca diversificar sua carteira e obter uma rentabilidade acima da média em renda fixa no longo prazo.

E se você tem interesse em investir em uma previdência que aloca em fundos de renda fixa com uma parcela em FIDCs, você tem que conhecer a ARCA Previdência Renda Fixa, o mais novo lançamento da Grão. 

Nela, você vai poder aproveitar todos os benefícios da previdência privada, como as vantagens tributárias, e somar à tranquilidade e consistência da renda fixa, que promove a evolução do seu patrimônio de forma linear. 

Ficou interessado? Entre clique para saber mais informações e realizar a sua contratação da ARCA Previdência Renda Fixa.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *