Custo - o que é - Grão

O que é Custo? Saiba Como Definir Cada Tipo

Estamos sempre falando sobre o custo das coisas, mas será que você sabe mesmo o que representa essa palavra?

No nosso dia a dia e no nosso planejamento financeiro, lidamos com diferentes tipos de custos. E de fato, eles impactam de forma diferente o nosso orçamento também.

Quando falamos sobre empresas, a importância de se ter bem definido o que são custos é enorme. Afinal, o sucesso da sua empresa depende diretamente da organização financeira dela.

Por isso, para ter uma vida financeira empresarial mais saudável, precisamos entender os componentes que a envolvem. 

Dessa forma, conseguimos organizar melhor o dinheiro, manter as contas no azul e traçar planos mais eficientes para os negócios.

Hoje, vamos falar sobre o que é custo, quais são os seus diferentes tipos e como eles impactam as finanças. Vamos lá?

Diferença entre custo e despesa

Uma das principais confusões que as pessoas fazem é acreditar que custo e despesa é a mesma coisa. Na verdade, não são.

Custos são os gastos que uma empresa tem com o produto final, por exemplo. Estão ligados à aquisição ou à produção de mercadorias.

Isso quer dizer que, para se ter um produto final, há uma série de custos. Por exemplo:

  • Matéria-prima;
  • Mão de obra;
  • Manutenção de máquinas e equipamentos;
  • Energia elétrica;
  • Transporte de entrega de produtos.

Já as despesas dizem respeito aos gastos que são necessários para manter a estrutura empresarial funcionando.

Sem esses gastos, você ainda consegue produzir os produtos finais, utilizando apenas os custos operacionais. 

Porém, eles são necessários para manter a qualidade do trabalho, o sucesso de divulgação da empresa, entre outros fatores. Por exemplo:

  • Gastos com a área comercial;
  • Com marketing;
  • Com a equipe financeira;
  • Aluguel do prédio;
  • Materiais de escritório.

Mas, não para por aí! Existem alguns outros termos e definições sobre custos que você precisa saber. Vou explicar no próximo item. 

diferença entre CDI e CDB - Grão
Crédito: Pexels

Definições sobre custo

Mais abaixo, vamos falar sobre custo fixo e variável. Mas, antes disso, quero apresentar algumas definições de custos que ajudam a entender melhor como eles funcionam:

  • Custo operacional: custos relacionados ao funcionamento do negócio. É a soma de todas as despesas citadas acima. Ou seja: gastos com administração, recursos humanos, comercial, etc. Não envolvem gastos com matéria prima para fabricação do produto, por exemplo;
  • Custo total: é a soma de todos os custos que uma empresa tem, independentemente da origem ou de serem fixos ou variáveis;
  • Custos diretos e indiretos: os custos diretos são aqueles mensuráveis e atrelados ao produto. Isso quer dizer: matéria prima, mão de obra, etc. Já os custos indiretos são aqueles difíceis de mensurar no valor final do produto, como os gastos com marketing, por exemplo;
  • Custo primário: são os gastos essenciais e palpáveis com os recursos necessários para a produção. É a soma da matéria prima, material de embalagem mais a mão-de-obra direta;
  • Custo de transformação: é o custo do esforço realizado pelas empresas para transformar as matérias primas no produto final. É a soma de todos os custos de produção, exceto a matéria-prima e outros elementos adquiridos.

Custo fixo e variável

Outra definição importante na hora de classificar custos é entre fixos e variáveis. Saber em quais desses grupos cada um se encaixa é essencial para fazer um balanço eficiente.

Custo fixo

O custo fixo é aquele que, todos os meses, semanas ou anos, você terá que pagar. 

Independentemente de a empresa ter tido um alto ou baixo desempenho, eles serão cobrados da mesma forma.

Além disso, eles não variam conforme a quantidade de produção ou época do ano, por exemplo.

Um exemplo é o custo com a mão de obra. Produzindo ou não, se os seus funcionários estão contratados, você terá que pagar a folha de pagamento.

Já uma despesa fixa seria o aluguel do prédio, por exemplo. Enquanto o imóvel estiver alugado, fechado ou aberto, você terá que pagar por ele.

Custo variável

O custo variável, como o próprio nome já diz, é aquele que varia de acordo com uma série de fatores.

Ele pode variar pela quantidade de produção, por exemplo. Afinal, se você produz menos em um mês, precisa comprar menos matéria prima e, logo, o custo diminui.

Ou então a manutenção de equipamentos. Ela é periódica e varia também com a quantidade de uso, cuidado no manuseio, entre outros fatores.

Já um exemplo de despesa variável seria os gastos com marketing, que podem ser maiores em épocas como Black Friday. Ou até mesmo a despesa com material de escritório.

Em meses de muita venda, por exemplo, talvez você precise de mais papéis e embalagens para a equipe de marketing. O que pode diminuir ou até ser suspenso em meses de menor movimento.

Custo - o que é - Grão
Crédito: Pexels

Custos semivariáveis ou semifixos

Existem ainda os custos que envolvem uma parte fixa e uma variável. Chamamos eles de semivariáveis ou semifixos.

Um exemplo aqui é o custo de energia ou água. Existe um valor mínimo (fixo) cobrado pela distribuidora e um valor relacionado à quantidade de produção (variável).

Esse segundo depende do tamanho da produção no mês, ou seja, você vai pagar, acima do valor fixo, o equivalente ao quanto produziu.

No caso dos gastos com energia e água, é possível encaixá-los também em despesas quando se referem ao abastecimento do escritório.

Nesse caso, também se enquadram como semivariáveis ou semifixos. Porém, despesas semivariáveis ou semifixas.

Por que é importante classificar os tipos de custos?

Saber classificar os tipos de custos do seu negócio é importante para poder analisar a margem de contribuição por produto.

Ou seja, você só vai conseguir ter lucro, se souber precificar de forma correta o seu produto. O que é determinante para o sucesso de uma empresa.

É preciso saber exatamente quanto ele custa para ser produzido. Direta e indiretamente. Tanto na produção de fato, quanto no processo empresarial completo.

Depois, faça uma pesquisa de mercado para saber quanto os seus concorrentes cobram. Perceba quais são os seus diferenciais que te permitem, talvez, cobrar mais que eles.

Dessa forma, você consegue definir qual o valor de lucro sobre cada produto que torna o seu negócio rentável.

E, de maneira prática, vai conseguir calcular exatamente o valor que sobra da venda de um produto ao retirar todos os custos nele embutidos.

Em resumo, fazendo o cálculo de custos, você vai conseguir saber se o seu negócio está ou não valendo a pena. Se você está ou não tendo lucro e como fazer para mudar o cenário, se for preciso.

Rendimento Tributável - Grão
Crédito: Pexels

Conclusão

Gerir uma empresa e precificar produtos e serviços não é uma tarefa fácil. Por isso, quanto mais organizado você for, melhor.

Além disso, é preciso estudar e entender ao menos o básico sobre administração e comercialização de produtos e serviços.

Quando falamos de educação financeira, não estamos falando só do âmbito pessoal. No empresarial, ela acaba sendo de fato até mais importante.

Afinal de contas, o funcionamento da empresa não diz respeito somente a você, mas também a todos os funcionários e sócios.

Isso sem falar das cadeias de produção, dos fornecedores a quem você contrata. Todas essas pessoas e outras empresas dependem da sua boa gestão.

Agora você já aprendeu sobre custo e despesa. Sabe a diferença entre eles e como classificar cada tipo. Por isso, com certeza vai ficar mais fácil fazer o balanço da sua empresa.

Então, use e abuse de planilhas, cheque as informações mais de uma vez e boa sorte!

E se você quer melhorar suas finanças, conte com a Grão. Todos os dias trazemos dicas financeiras nas nossas redes sociais: Instagram, Facebook e YouTube.

Por fim, baixe grátis o aplicativo Grão e comece agora a juntar dinheiro! O app é gratuito e está disponível nas principais lojas de aplicativos Google Play ou App Store.

Leia também

Deixe seu comentário

Comece a poupar com a Grão