fbpx

Selic caindo: ainda é o momento de investir em renda fixa?

Selic caindo
Reading Time: 4 minutes

Com a taxa Selic caindo e diversos indicativos de que ela deve cair mais nos próximos meses, muitos investidores se perguntam: ainda é o momento de investir em renda fixa?

Isso acontece porque a rentabilidade dos investimentos em renda fixa está diretamente ligada ao movimento da taxa Selic, que é o principal referencial para os ativos dessa classe. 

Então, se a taxa está baixa, os investimentos em renda fixa vão ter rentabilidade menor. Já se está alta, eles terão retorno maior.

Com essa dúvida em mente, separamos este artigo para responder para você sobre esse tema: a queda da Selic vai acabar com a atratividade dos ativos de renda fixa?

A resposta é não. Neste artigo juntamos 4 motivos que vão reforçar o porquê dessa afirmação. Siga com a gente para entender a razão de a renda fixa ainda ser um excelente investimento. 

1 – A queda dos juros deve ser gradual e leve 

Como já sinalizado pelo Copom em seu comunicado oficial da última reunião de definição da taxa Selic, a redução dos juros deve ser gradual, com cortes pequenos de 0,5 pontos percentuais ao longo das próximas reuniões. 

Então, sendo assim, a taxa Selic deve permanecer em um patamar atrativo por um bom tempo. 

Além disso, diferentemente do que aconteceu em um passado recente, em que a Selic caiu até alcançar o patamar de 2% ao ano, agora os juros não vão chegar perto de cair até esse valor. 

Então, mesmo no final do ciclo de corte, o valor da taxa Selic deve seguir atrativa para gerar rentabilidade à renda fixa.

Portanto, esse é um dos motivos pelos quais o investidor que gosta da renda fixa não deve se preocupar com o cenário atual.   

2 – Os juros altos e a inflação baixa possibilitam ganhos maiores 

Outro ponto importante é que, além da taxa de juros estar alta, estamos em um cenário em que a inflação caiu muito, se encontrando hoje próxima de 4% nos últimos 12 meses.  

Isso proporciona ao investidor o que chamamos de ganho real, ou seja, rentabilidade descontada a inflação.

Falando em palavras mais fáceis, o juro real é o valor que você realmente vai ganhar com os seus investimentos, já que desconta o aumento dos preços na economia.   

É ele que você deve considerar para medir seus resultados e, no cenário atual, a renda fixa proporciona esse ganho. 

A lógica é pura e simplesmente matemática. Se temos os juros em 12,75% ao ano e uma inflação de apenas 4%, o ganho real do investidor vai ser muito satisfatório — algo por volta de 5% a 8% ao ano mesmo em ativos com baixo risco descontados de impostos. 

3 – Com a Selic caindo, o estímulo na economia pode oferecer melhores resultados às empresas 

Além de não impactar muito a renda fixa, a queda dos juros ajuda as empresas.  

Isso acontece pela seguinte razão: 

De modo geral, as empresas precisam pegar crédito para financiar as suas operações, ou seja, precisam de dinheiro emprestado para comprar novos equipamentos, financiar novos projetos e expandir as operações, de modo geral. 

Imagem de celular com app Grão aberto para começar a investir na previdência

Esse dinheiro pode ser captado tanto pedindo empréstimo a bancos quanto a investidores no mercado de capitais. 

É aí, inclusive, que entra o mercado de crédito privado, onde as companhias emitem títulos de dívida no mercado (como as debêntures, por exemplo) e captam dinheiro para usar em suas atividades. 

De uma forma ou de outra, como consequência, a captação desse dinheiro gera uma obrigação financeira a ela, ou seja, uma dívida. 

Com os juros altos, essas dívidas ficam com juros muito altos e, por vezes, algumas empresas podem não ter a capacidade de pagá-las. 

Isso pode chegar até a virar um calote. Com isso, investidores que compraram debêntures, por exemplo, ficam sem o dinheiro dos investimentos. 

Além de investidores poderem perder dinheiro na renda fixa, isso acaba contaminando também o mercado de crédito, que perde a confiança dos investidores.

Com a Selic caindo e os juros mais baixos, porém, esse cenário vira ao contrário. 

Os juros dessas dívidas que as empresas possuem ficam mais baratos. Isso dá um maior alívio para as empresas, que aumenta a sua capacidade de honrar os seus compromissos atuais.

Então, essa queda do risco de inadimplência melhora a qualidade dos títulos, a confiança no mercado de crédito privado e nos ativos de renda fixa, de modo geral. 

4 – Os ativos de crédito estão com preços atrativos 

O exemplo citado no item 3 tem também como consequência a valorização do preço dos títulos. 

Afinal, com uma Selic mais alta, como falamos, o risco de essas empresas se tornarem inadimplentes era maior. 

Esse risco faz com que esses títulos tenham o seu valor reduzido pelo risco de os compromissos não serem pagos. Isso porque os juros a serem pagos são bem maiores. 

Agora com a Selic caindo e com expectativa de cair mais, o mercado diminui a percepção de risco de inadimplência e esses títulos voltam a se valorizar, aumentando a rentabilidade do investidor.  

Sendo assim, é possível ter ganhos acima da média com a renda fixa, principalmente se você investe por meio de fundo e conta com a ajuda de um gestor experiente para comprar esses títulos e realizar essas operações. 

Conclusão

Com esses 4 pontos, você pode ver como, mesmo com o cenário da taxa Selic caindo, a renda fixa seguirá sendo atrativa e renderá bons frutos aos investidores de longo prazo.

Então, não se deixe levar pelo comportamento de manada e aproveite para investir neste momento muito atrativo para a renda fixa.

E se você quer aproveitar esse bom cenário para os ativos de renda fixa, mas não sabe ou não tem tempo para analisar os investimentos, a Grão pode te ajudar!

Estamos lançando dois fundos com foco em crédito privado. Neles, contamos com gestores experientes no mercado de renda fixa para aproveitar as melhores oportunidades do momento. 

Acesse já o nosso site e conheça mais sobre os nossos fundos de renda fixa e as estratégias utilizadas para gerar rentabilidade aos investidores.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *