Pix: Entenda Como Funciona

Entenda o que é Pix, como funciona e características. Conheça também as vantagens e tarifas do serviço de pagamentos instantâneos.

No início de 2020, o Banco Central anunciou a criação do Pix, um sistema de pagamentos instantâneo.

A promessa é um meio de pagamentos que funcione em até 10 segundos, inclusive nos finais de semana e feriados.

Assim, o Pix é uma nova forma de transferir dinheiro e realizar pagamentos muito mais rápida e barata que TED ou DOC.

O sistema entrará em operação em novembro e, neste texto, você vai entender:

  • O que é Pix;
  • Se será o fim do TED ou DOC;
  • Como funciona o pagamento instantâneo;
  • O que são as chaves do Pix;
  • Como fazer transações;
  • Se haverá tarifa;
  • Como será a segurança.

O que é Pix?

Ele é um meio de pagamento instantâneo que serve como uma nova alternativa para os consumidores.

Com o novo sistema, é possível fazer transferências e pagamentos em até 10 segundos direto do celular. Ou seja, é uma opção mais rápida do que TED ou DOC e boleto.

Além disso, consumidores também poderão comprar em lojas e pagar usando o Pix. O processamento será instantâneo e em qualquer dia/horário.

Assim, o consumidor ganha mais rapidez, facilidade de operação através das chaves e flexibilidade de horário. Esse último benefício não existe no caso de TED ou DOC.

O Banco Central criou o novo sistema. Porém a operação ficará a cargo das instituições financeiras, como bancos e fintechs.

Logo, como cliente, você vai ver uma nova opção “Pix” no menu do aplicativo, ao lado de TED, DOC etc.

Adeus TED, DOC e boleto?

Atualmente, as transferências entre instituições financeiras diferentes acontecem de duas maneiras: TED ou DOC. Em resumo:

TED (Transferência Eletrônica Disponível)

  • O dinheiro transferido é compensado no mesmo dia, desde que a transação aconteça antes das 17h. 
  • Não há valor mínimo e o teto de R$ 5.000,00 do DOC não existe. Portanto, a transferência de valores maiores acontece via TED. 
  • As transações precisam acontecer em dias úteis;

DOC (Documento de Ordem de Crédito)

  • O dinheiro transferido só é creditado na conta destino no dia útil seguinte. 
  • E há limite máximo de R$ 4.999,99 para uso deste meio de transferência. 
  • Assim como na TED, a operação do DOC só ocorre em dias úteis.

Para as transferências, parece bem provável que o Pix passe a ser a escolha natural. Pois ele será gratuito para o consumidor. Em oposição à TED e ao DOC, que são cobrados.

No caso dos pagamentos, o boleto é um sistema que funciona bem. Mas ele também pode ser substituído pelo QR Code do Pix.

Assim, o consumidor poderá pagar carnês ou pagamentos parcelados usando um código, mas sem o custo do boleto.

Como funciona o Pix?

O funcionamento será semelhante ao de uma TED ou DOC. Mas você não vai precisar passar os dados completos de banco e agência.

No Pix, bastará informar sua chave Pix, que será única e estará associada a uma conta em banco ou fintech.

Essa chave pode ser o seu CPF (ou CNPJ), e-mail ou número de telefone. Além disso, é possível criar uma chave aleatória.

Depois disso, no menu do aplicativo, você poderá receber, transferir dinheiro ou pagar através da opção “Pix”.

Entenda as Chaves Pix

As chaves são, como o próprio Banco Central (BC) diz, apelidos para identificar sua conta no banco ou fintech.

Por exemplo, com o seu e-mail alguém já será capaz de realizar uma transferência em questão de segundos.

Assim, a chave Pix é o que você vai compartilhar para que possam mandar dinheiro para a sua conta.

Hoje, você precisa preencher CPF, escolher o banco, digitar dados da agência e conta corrente. Com o Pix, bastará a chave.

De acordo com as regras do BC, cada pessoa física poderá registrar até cinco chaves Pix por conta. Para pessoas jurídicas, serão 20 chaves por conta.

Por outro lado, não há limite total de chaves que cada pessoa ou empresa pode cadastrar.

Por exemplo, se você tem conta em três instituições financeiras, sendo um banco e duas fintechs:

  • Você pode ter 5 chaves para a conta do banco;
  • Mais 5 chaves para a conta da fintech que mais usa;
  • Outras 5 chaves para a outra conta, na outra fintech.

No entanto, não será possível usar a mesma chave em mais de uma conta.

Ou seja, se o seu CPF for a chave Pix no banco, ele não poderá ser usado como chave na fintech.

Se você quiser alterar este cenário, terá que pedir a portabilidade da chave. O BC regulamentou essa situação e a portabilidade estará em operação com o Pix.

Como fazer transações com o Pix?

A operação de transferência será muito parecida com a realizada hoje através de TED ou DOC.

Ou seja, no seu app do banco ou fintech você encontrará a opção “Pix” no menu de transferências.

Para os pagamentos, você poderá usar a chave da empresa para fazer uma transferência ou ler um código QR Code.

Na regulamentação do BC para as transações financeiras, teremos então três maneiras de movimentar o dinheiro:

  • TED ou DOC, com a inclusão das informações bancárias completas de quem vai receber o dinheiro (nome, CPF, número do banco, agência e conta);
  • Através do uso da Chave Pix;
  • Ou através da leitura de um código QR Code (associado a uma conta Pix).

Quais as tarifas cobradas no Pix?

Para a pessoa física, o uso do Pix será totalmente gratuito tanto para transferências quanto para realizar pagamentos.

Assim, já há uma vantagem clara do novo sistema instantâneo em relação ao uso de TED e DOC. Já que essas alternativas geralmente são cobradas.

Para empresas, o BC ainda publicará uma norma com os detalhes em relação às tarifas que eventualmente tenham no Pix.

De qualquer maneira, tudo indica que a novidade será mais barata para as empresas do que outras modalidades disponíveis atualmente.

Quais as vantagens de usar o Pix?

De acordo com o BC, são três as principais vantagens do Pix pensando na população brasileira (inclusive ainda desbancarizada):

  • Transferências e pagamentos poderão ser feitos 24 horas por dia, todos os dias, inclusive feriados e fins de semana;
  • Gratuito para pessoas físicas e MEI. Você pode gerar renda extra e parar de pagar tarifas bancárias, já pensou?
  • Transferência ou pagamento acontece em até 10 segundos. Mais tempo para você aproveitar para juntar dinheiro aqui na sua poupança digital.

Segurança do Pix

A criptografia seguirá os mesmos padrões já usados nas transferências via TED e DOC. Portanto a segurança do Pix tende a ser muito robusta.

Ao mesmo tempo, a questão da autenticação seguirá em vigor. Ou seja, você terá que digitar sua senha antes de efetivar a transferência.

Além disso, duas leis seguirão em vigor garantindo a proteção e privacidade dos clientes:

  • Lei do Sigilo Bancário (Lei complementar 105, de janeiro de 2001);
  • Lei Geral de Proteção de Dados, ou LGPD, que passou a vigorar em 18 de setembro de 2020.

Em caso de fraudes com o Pix, as empresas autorizadas pelo BC para ter este meio de pagamento devem resolver a questão.

#boraguardar na Grão

A equipe Grão está sempre pronta para ajudar você a entender melhor o que mexe com o seu bolso. Além – é claro – de te apoiar nas economias e no planejamento das suas finanças.

Agora, você já sabe tudo sobre o Pix e como ele pode fazer a diferença no seu dia a dia. Inclusive entende como ele vai facilitar o seu hábito de guardar dinheiro!

Todos os dias você encontra dicas, sugestões, artigos, ferramentas e muita informação de qualidade nas nossas redes sociais. Então siga-nos no Instagram, Facebook e Youtube.

Para nós, guardar dinheiro é importante e queremos que você aprenda a criar sua reserva financeira do jeito certo.

Baixe nosso App e experimente a jornada de educação financeira que preparamos para você.

Foto de Giftpundits.com no Pexels

Leia também

Deixe seu comentário

Comece a poupar com a Grão