Vídeo especial: Do Endividamento ao Investimento Acesse aqui

Financiamento: quanto maior a entrada, melhor (comprove com números)

#graoexplica por Equipe Grão - 30 de Julho de 2020 - tempo estimado de leitura:

Você com certeza já ouviu dizer que o Brasil é um país com taxa de juros muito elevada, o que significa que pegar dinheiro emprestado ou fazer um financiamento pode custar caro. Se ainda não ouvi nada a esse respeito, é hora de abraçar a educação financeira com a ajuda da Grão.

 

Para muita gente, financiar alguma coisa é sinônimo de uma compra sem planejamento, com a decisão de consumo baseada muitas vezes apenas no valor da parcela e no desejo “inadiável” de ter.

 

Se você já fez algum financiamento, talvez tenha se perguntado: será que vale a pena dar uma entrada maior? Quanto maior a entrada, mais interessante fica o financiamento? O que isso quer dizer na prática? Vamos descobrir juntos!

 

Financiamento: exemplo da compra de um carro

 

A melhor maneira de mostrar a realidade de diferentes financiamentos é através dos números. Para nosso exemplo, vamos imaginar que você queira comprar um carro usado no valor de R$ 45.000,00. Para nossos cálculos, vamos considerar:

 

  • Financiamento considerando uma entrada de 30%, depois 45% e então 60%;
  • Prazo de financiamento: 48 meses (4 anos);
  • Taxa de juros: 1% ao mês.

 

  1. Financiamento com entrada de 30%

 

Quem decide pela compra oferecendo apenas 30% de entrada, ou R$ 13.500,00, fica com um saldo devedor de R$ 31.500,00 e parcelas de R$ 830,00. O total pago pelo carro no final dos quatro anos será R$ 53.316,76, uma diferença de R$ 8.316,76 – o carro custaria 18,5% mais caro que o valor à vista.

 

  1. Financiamento com entrada de 45%

 

Quem decide pela compra oferecendo 45% de entrada, ou R$ 20.250,00, fica com um saldo devedor de R$ 24.750,00 e parcelas de R$ 651,76. O total pago pelo carro no final dos quatro anos será R$ 51.534,60, uma diferença de R$ 6.534,60 – o carro custaria 14,5% mais caro que o valor à vista.

 

  1. Financiamento com entrada de 60%

 

Quem decide pela compra oferecendo 60% de entrada, ou R$ 27.000,00, fica com saldo devedor de R$ 18.000,00 e parcelas de R$ 474,01. O total pago pelo carro no final dos quatro anos será R$ 49.752,43, uma diferença de R$ 4.752,43 – o carro custaria 10,6% mais caro que o valor à vista.

 

  1. Analisando os números do financiamento

 

Os números são bastante claros em relação ao impacto financeiro final do financiamento quando se trata de dar ou não uma entrada maior. O ideal é sempre negociar e pagar à vista; se não for possível ir por este caminho, que a entrada seja a mais significativa possível para que você pague a menor soma possível de juros.

 

A diferença entre os cenários é clara: você paga muito mais juros, o carro custa mais caro e o impacto também é maior quando se trata das parcelas. Pode ser difícil juntar para uma entrada maior, mas é importante saber que não fazer isso significa também pesar muito o orçamento durante o período de pagamento.

 

No primeiro exemplo, com entrada de apenas 30%, as parcelas são de R$ 830,00. No exemplo com 60% de entrada, elas caem para R$ 474,01. O esforço de juntar dinheiro e lidar com paciência significa a diferença entre poder ter (e manter o bem) ou apenas comprá-lo como um sonho para tão logo ver tudo virar um pesadelo.

 

Financiamento nunca está só: atenção ao custo total de propriedade

 

No exemplo deste material, estamos tratando de um financiamento de carro, bem que é o segundo mais caro que adquirimos ao longo da vida (perde para a casa própria, obviamente). Com a compra do carro, chegam inúmeros outros gastos além da parcela do financiamento, alguns deles sendo:

 

  • Impostos e taxas (IPVA, seguro obrigatório e licenciamento);
  • Seguro;
  • Combustível;
  • Manutenção (preventiva na forma de revisões e corretiva);
  • Peças e serviços (alinhamento, balanceamento, pneus etc.);
  • Estacionamento;
  • Lavagem;
  • Multas.

 

A lista está bem “curta”, para falar a verdade. Pense bem, pesquise e converse com outros proprietários de carros e você vai perceber que há muita coisa além do financiamento. Por que estamos insistindo nisso? Porque você terá que ter dinheiro para a parcela e para os demais gastos que o carro vai trazer para o seu dia a dia.

 

Como uma regra de bolso simples, mas eficiente, considere o seguinte para uma entrada de 50%: o valor da parcela é mais ou menos a metade do gasto total médio mensal que você vai ter como carro. Se a parcela é de R$ 700,00, por exemplo, você terá que ter outros R$ 700,00 por mês para manter o carro. Trata-se de uma referência, calculada anualmente.

 

Entrada maior no financiamento: chance maior de aprovação

 

Há uma outra vantagem interessante de oferecer um valor maior de entrada no financiamento: a aprovação da linha de crédito fica mais fácil. A lógica é simples: você foi capaz de juntar mais dinheiro para a entrada e as parcelas mais baixas terão impacto menor no orçamento, o que faz de você um cliente de risco menor para quem empresta o dinheiro.

 

Se o que queremos pode ser comprado através de um financiamento, ótimo, desde que sejamos capazes de entender que uma entrada maior torna a compra mais inteligente. Tudo fica melhor, para você e para a instituição financeira, quando você é capaz de guardar dinheiro para oferecer mais dinheiro como entrada.

Nova call to action

Toda compra implica despesas óbvias do momento, mas também novos custos que só serão completamente conhecidos depois que o bem estiver no seu nome. Com o carro, isso é bastante verdadeiro. O remédio para esta situação chama-se educação financeira, e por isso você está aqui hoje.

 

#boraguardar na Grão para uma entrada maior

 

A equipe da Grão está ao seu lado para compartilhar cálculos importantes para suas escolhas. Ao analisar o financiamento, procure juntar o máximo possível para a entrada e analisar o impacto da compra no seu orçamento depois de levar o produto para casa.

 

Todos os dias você vai encontrar dicas, sugestões, artigos, ferramentas e muita informação de qualidade em todos os nossos canais de mídia e redes sociais, então siga-nos no Instagram, Facebook e Youtube.

Quero guardar dinheiro hoje!

Quando você junta dinheiro para dar uma entrada maior no financiamento, você também aumenta suas chances de aprovação. Tudo ao mesmo tempo em que mantém o orçamento saudável, sem grandes loucuras. Quanto mais você guardar, mais fácil será realizar seu objetivo. Baixe nosso App e experimente a jornada de educação financeira que preparamos para você. Vem pra Grão!

Comentários:

Vídeos

Do Endividamento ao Investimento

Do Endividamento ao Investimento

Como devo usar minha reserva de emergência?

Como devo usar minha reserva de emergência?

Por que ter um objetivo faz tanta diferença na hora de guardar dinheiro

Por que ter um objetivo faz tanta diferença na hora de guardar dinheiro

Como começar a sua reserva de emergência mesmo na pandemia?

Como começar a sua reserva de emergência mesmo na pandemia?

Assista mais vídeos no nosso canal  

Comece a poupar com a Grão

guia-para-quem-perdeu-emprego
auxilio-emergencial
DESAFIO CONTROLE DE GASTOS