Estamos disponibilizando mais um canal de contato e relacionamento: o Facebook Messenger! Acesse aqui

IOF e IR - o que são?

#graoexplica por Equipe Grão - 8 de Outubro de 2019 - tempo estimado de leitura:

Não tem problema se não souber, até porque o texto de hoje vai trazer exatamente esse assunto para a roda. Mas saiba de antemão que essas duas siglas são impostos e estão tão presentes em nossas rotinas que nem ao menos nos damos conta.

A seguir começa mais um Grão Explica, um jeito de trazer assuntos burocráticos de uma forma mais simples e fácil de entender 😉

Mas afinal, o que é IOF?

Tudo que compramos tem um imposto embutido, e quando falamos tudo, é tudo mesmo! E o IOF é um deles, o Imposto sobre Operações Financeiras. E funciona assim, se você é pessoa jurídica ou pessoa física, e realiza operações de câmbio, crédito e seguro; pronto, esse imposto é cobrado de você.

As variações da alíquota desse imposto costumam variar durante o ano e isso acontece de acordo com as decisões do Governo Federal a partir de decisões tomadas por eles.

Nova call to action

Mas pra quê ele serve mesmo?

De fato que pagamos muitos impostos e olha que são muitos, viu! Mas vamos nos concentrar no IOF e IR, ok? Oficialmente, segundo a Receita Federal, o destino da cobrança de imposto é na contribuição financeira do cidadão que usam serviços e espaços públicos.

Sendo assim serviços como saúde - hospitais, pronto-socorros e postos de saúde; e transportes públicos são mantidos com o dinheiro arrecadado dos impostos. Parte desse dinheiro também é destinado a educação, geração de trabalho, inclusão social, construção e restauração de estradas, incentivo a produção agrícola e industrial, segurança pública e etc.

Então a cada serviço que utilizar, cada produto que consumir e espaços que for usar; saiba que o seu dinheiro pago de imposto está no meio para que você possa usufruir dos mesmos.

E como eu posso conferir o quanto estou pagando de IOF?

Pegue uma fatura sua na qual você tenha parcelado alguma compra, que tenha usado o cheque especial até o limite ou realizado compras em outro país, pronto, a sigla IOF vai aparecer no extrato da fatura do cartão de crédito. Para saber mais detalhadamente sobre as alíquotas vigentes confira aqui e fique por dentro.

E lembre-se: quanto maior for o valor dessas operações, maior será o valor do imposto pago.

BAIXE AQUI SUA PLANILHA FINANCEIRA

E do que ele é cobrado?

O IOF é cobrado quando:

  • É usado o rotativo do cartão de crédito

O que é rotativo?

É um tipo de crédito oferecido ao consumidor quando ele não faz o pagamento total da fatura do cartão até o vencimento. O exemplo mais conhecido é quando pagamos o valor mínimo da fatura, mas isso pode acontecer quando pagamos até bem menos que o valor menor que o valor integral.

A diferença que fica entre o valor total e o que foi efetuado de pagamento até a data de vencimento acaba se transformando em um empréstimo. E por conta disso, o restante do valor a ser pago acaba sofrendo juros.

Exemplo:

Você tem uma fatura de R$1.900. O valor mínimo é de R$900, porém o valor que você conseguirá pagar no momento até o vencimento é de R$400.

Acompanhando o raciocínio do rotativo, você tem R$1.500 de empréstimo a ser usado durante um mês.

  • O cheque especial fica no vermelho

O que é cheque especial?

Nada mais é que um outro tipo de crédito pré-aprovado ofertado pelo banco, com disponibilidade de uso a qualquer momento. CUIDADO, por que é nessa disponibilidade que o perigo fica a espreita. Além de que o percentual do juros do cheque especial de cada um varia conforme a avaliação do seu crédito que os bancos realizam.

  • Realiza compras de moedas com contrato de câmbio
  • Realiza compras utilizando o cartão internacional
  • Investe e saca antes de 30 dias (guarda essa informação!)

Guia rápido: Como cortar gastos e organizar as contas agora

E o IR, do que se trata?

É o famoso Imposto de Renda, tcharãaa

E tanto pessoa jurídica como a física devem pagar esse imposto. Para o IR, a Receita Federal classificou os Fundos de Investimentos em três divisões: Fundos de Renda Fixa Curto Prazo, Fundos de Renda Fixa Longo Prazo e Fundos de Ações.

Tanto o fundo a curto prazo como o de longo prazo recebe uma aplicação de tabela alíquota de imposto de renda decrescente baseado no prazo de permanência do investimento.

Pegando esses conhecimentos básicos e aplicando em uma das perguntas que mais aparecem pra gente por aqui: Como funciona o imposto que é cobrado na hora que eu realizo o resgate do dinheiro na conta Diin?

Vamos puxar a informação que pedimos para guardá-la: Investir e sacar antes de 30 dias + Fundos de Renda Fixa Longo Prazo. Se você guarda dinheiro na Diin mas por algum motivo precisa resgatar uma quantia antes de 30 dias, a tabela alíquota de IR é aplicada em cima do rendimento do dinheiro que rendeu, e é assim que a cobrança desse imposto é realizado na Diin.

tabela_diin

Na Grão, o Imposto de Renda é retido na fonte, ou seja, no caso da Grão, a fonte seria o investimento logo, o imposto é cobrado em cima do valor que rendeu o seu dinheiro dentro da Grão.

Tem mais dúvidas a respeito da cobrança desses impostos? O meajuda@grao.com.br é um canal para ajudar a esclarecer suas dúvidas da melhor maneira possível, manda um e-mail para gente e vamos trocar uma ideia?

E falando nisso, que tal começar a guardar o seu dinheiro com a gente? Ele pode ser muito bem trabalhado no organizador, nos objetivos e até mesmo com o próprio rendimento.

Bora guardar? 😃💰

Photo by Angelina Litvin on Unsplash

Comentários:

Vídeos

Como começar a sua reserva de emergência mesmo na pandemia?

Como começar a sua reserva de emergência mesmo na pandemia?

Como devo usar minha reserva de emergência?

Como devo usar minha reserva de emergência?

Comece a poupar com a Grão

Guia rápido: Como cortar gastos e organizar as contas agora
Nova call to action
Nova call to action