Você conhece os bancos digitais?

Bancos Digitais: Tudo que Você Precisa Saber

Os bancos digitais chegaram para aumentar a concorrência em um setor que ainda hoje é bastante fechado no Brasil. Para se ter uma ideia, em 2019, os 5 maiores bancos concentravam 81% do segmento bancário comercial.

Esses dados são do mais recente Relatório de Economia Bancária do Banco Central (Bacen). O número, apesar de enorme, vem caindo. No final de 2018, Caixa Econômica Federal, Banco do Brasil, Itaú, Bradesco e Santander, possuíam 81,2% dos ativos bancários.

Para competir com os “bancões”, é possível encontrar um banco digital gratuito que oferece tecnologia e eficiência para um setor famoso pela burocracia. Assim, essas novas empresas podem facilitar a vida dos clientes e trazer muitas outras vantagens.

Mas como conhecer todos, saber qual é seguro. Afinal de contas, você vai colocar seu dinheiro na empresa. Para te ajudar com isso, vamos apresentar tudo que você precisa saber sobre os bancos digitais e decidir com segurança. Por exemplo:

  • o que são bancos digitais e se eles são seguros.
  • uma lista dos principais em operação no Brasil, quais serviços eles oferecem.
  • quais os melhores bancos digitais para você.
  • os benefícios desse tipo de serviço.
  • opções para quem é MEI.

E muito mais! Aproveite o conteúdo que a Grão fez para te ajudar.

O que são bancos digitais?

Os bancos digitais fazem parte de um grupo de empresas chamadas fintechs, que é a união de tecnologia e finanças. De forma geral, todo banco digital é uma fintech, mas nem toda fintech é um banco digital.

Por exemplo, a Grão é uma fintech, mas não é um banco digital. É um aplicativo que te ajuda a guardar dinheiro e realizar seus objetivos financeiros. Ele é tão fácil quanto a poupança, mas tem rentabilidade maior e é mais seguro, pois usa Títulos Públicos.

De volta ao tema central, bancos digitais são instituições financeiras que não oferecem atendimento presencial. Ou seja não tem agência física para ir, já que tudo é resolvido por aplicativo ou pela internet. Por isso também são conhecidos como bancos online ou bancos virtuais.

Nesse sentido, desde a abertura da conta, aos esclarecimentos de dúvidas até serviços de depósito e transferências são 100% digitais. Mas mesmo sem agências, eles são regulamentados pelo Banco Central.

Outro ponto importante é que, em geral, o serviço do banco digital é gratuito. Veremos abaixo mais detalhes sobre eles.

Em outras palavras, nada de altas tarifas para simples manutenção da conta, nem taxas a cada DOC ou TED utilizados. Mais economia para o seu bolso e mais chance para juntar na Grão e realizar seus objetivos.

Quais os benefícios dos bancos digitais?

Em primeiro lugar, por serem digitais, eles não têm filas nem burocracia. Ou seja, você pode usar à vontade sem precisar sair da sua casa.

Outra vantagem é a agilidade no atendimento para resolver qualquer dúvida ou pendência que o cliente tenha.

Como já mencionamos, as tarifas são outro benefício dos bancos digitais. Já que a maioria deles não cobra tarifa ou taxa de administração e de transferência, por exemplo.

Entre os serviços mais comuns oferecidos pelos bancos digitais estão:

  • conta corrente 100% online e sem taxa de administração;
  • cartão de crédito (muitos deles não cobram anuidade);
  • empréstimos;
  • investimentos;
  • alguns têm até seguros e consórcios.

Os serviços que têm alguma tarifa, como saques em caixas eletrônicos, são cobrados por uso. Em outras palavras, quem usa paga, quem não usa não paga.

Mas nem tudo são flores. Por outro lado, existem limitações, que só são ruins para quem prefere a vida mais offline com cheque e agências. Ou seja, quem sente falta do contato físico e presencial pode não se acostumar com a vida financeira digital.

Melhores bancos digitais

Escolher o melhor banco digital depende bastante do seu perfil e o que é importante para você. Por exemplo, algumas instituições oferecem o serviço de débito automático. No entanto, existem outros que não têm esse serviço.

A funcionalidade do aplicativo também é um fator que pode pesar na escolha entre os bancos virtuais. Lembre-se de que o aplicativo é o principal ponto de contato e de utilização dos produtos financeiros.

Conheça os principais bancos digitais do Brasil

Nubank

O já famoso “roxinho” começou em 2014 apenas com o cartão de crédito sem anuidade e 100% gerenciado por aplicativo. Três anos depois, foi lançada a Nuconta. Hoje chamada apenas de conta digital do Nubank.

A conta do Nubank não tem tarifa e oferece transferências gratuitas e ilimitadas para qualquer banco. E todo dinheiro que estiver na conta, é investido em títulos públicos.

Porém, se você precisar fazer um saque no caixa eletrônico, vai ter que pagar R$ 6,50 a cada utilização. Atualmente, o Nubank oferece conta para PJ, mas apenas para empresas com um sócio (MEI, EI ou EIRELI).

Banco Inter

O antigo Banco Intermedium, agora só Banco Inter é bastante completo, com serviços de conta corrente e cartão de crédito. Além disso, ele também oferece opções de crédito (empréstimo e financiamento), câmbio, consórcios e seguros.

Ao contrário do Nubank, os saques do Inter não têm tarifa. O banco custeia o serviço. Assim que você abrir a conta, já recebe um cartão de débito. O cartão de crédito depende de análise do perfil do cliente.

O grande diferencial do Inter é a facilidade de abrir conta para empresas (pessoa jurídica), seja MEI ou não. Outro ponto são as várias opções de investimento (renda fixa, fundos de investimento e até renda variável.

Neon

Assim como os anteriores, a conta da Neon é toda gerenciada por aplicativo. Basta baixar o aplicativo e seguir os passos para abrir a conta. No entanto, é necessário ativar a conta com um depósito inicial. O valor exato é informado por e-mail.

Da mesma forma que o Inter, a Neon oferece conta para PJ, mas apenas para quem é MEI. Outras empresas não conseguem abrir conta no Banco Neon.

Em relação aos saques, a conta normal só dá direito a 1 saque por mês. Já a Neon+ oferece mais 3 saques extras para quem faz, pelo menos, 10 compras dentro de 30 dias.

C6 Bank

Um dos mais novos bancos digitais é o C6 Bank, instituição fundada por ex-sócios do BTG Pactual em 2018. A empresa oferece conta para pessoa física, para MEI, cartão de crédito e investimento.

O C6 tem manutenção, saques e transferências ilimitados e gratuitos. Já entre os cartões, só um tem anuidade zero, o modelo misto (débito e crédito). Na conta MEI, a maquininha também é grátis.

Banco Original

O Original tem tarifa fixa de R$ 12,90 por mês para usar o pacote ilimitado de TEDs e saques. Quem não contrata esse pacote tem direito a 4 saques e 2 transferências grátis por mês.

Caso você use mais do que esses limites, terá que pagar R$ 1,90 a cada saque. E R$ 8,90 a cada transferência.

E também tem anuidade em alguns dos seus cartões de crédito, a partir do segundo ano. Porém, é possível conseguir isenção da anuidade do cartão, caso você faça investimentos no banco.

Agibank

Banco digital, mas não tanto. Sim, o Agibank tem mais de 600 pontos de atendimento em todos os estados do país.

O banco tem serviços gratuitos, mas limitados. Por exemplo, o cliente tem direito a 4 saques grátis por mês. Se ultrapassar esse limite, tem que pagar R$ 6,49 a cada saque.

As TEDs para outros bancos custam R$ 4,90 cada uma. No caso do cartão de crédito, a 1ª anuidade é grátis. Já as demais custam R$ 4,90 por mês.

Reação dos bancos tradicionais

BB Digital é o banco virtual do Banco do Brasil. Next é o banco digital do Bradesco. O BS2 é a versão digital do antigo Banco Bonsucesso. 

A SuperDigital é a conta corrente online do Santander. Já o Itaú lançou o Iti, um aplicativo de pagamentos, para receber e enviar dinheiro sem maquininha ou conta.

Bancos digitais são seguros?

A cada 10 transações financeiras feitas em 2019, mais de 6 aconteceram por meios digitais, não necessariamente em bancos digitais. Isso demonstra que as pessoas estão a cada ano se familiarizando e tendo mais confiança nos pagamentos online.

Durante a pandemia do Coronavírus (COVID-19), os canais digitais de todos os bancos representaram até 74% de todas as transações. Como resultado, os bancos digitais se tornam mais confiáveis.

Em relação à segurança dessas instituições, devemos levar em conta que elas precisam seguir as regras criadas pelo Banco Central.

O risco de vazamento de dados existe tanto para os bancos tradicionais como os digitais. A questão é que todas as empresas estão cotidianamente investindo em gestão, tecnologia e proteção para os dados dos clientes.

Banco digital para MEI

Conforme apresentamos em cada um dos principais bancos digitais, Nubank, Inter, Neon e C6 oferecem conta para MEI. Dentre eles, apenas o Inter oferece conta para PJ de outros modelos, como ME ou limitada, por exemplo.

Conclusão

Por fim, os bancos digitais são um caminho para aumentar a concorrência dos serviços financeiros. E, com isso, uma redução das taxas e tarifas, além da melhoria no atendimento das instituições para os clientes.

Nem todo banco digital é gratuito, mas a maioria oferece grande parte dos serviços sem cobranças. Para mais dicas sobre como cuidar do seu dinheiro, siga a Grão nas redes sociais: Instagram, Facebook e Youtube.

Para nós, guardar dinheiro é importante e queremos que você aprenda a criar sua reserva financeira do jeito certo. Baixe grátis o aplicativo Grão e comece agora a juntar dinheiro! Disponível nas lojas de aplicativos Google Play ou App Store.

Mais dúvidas

Diferença entre DOC e TED

DOC e TED são tipos diferentes de transferência bancária. DOC significa Documento de Ordem de Crédito. Não tem valor mínimo, mas é limitado a R$ 4.999,99. Já a TED é a Transferência Eletrônica Disponível e não tem valor mínimo nem máximo. A principal diferença é o tempo para o dinheiro sair de uma conta e chegar na outra. Enquanto o DOC só cai no dia útil seguinte, a TED pode acontecer em minutos quando feita até as 17h.

PIX: sistema de pagamento instantâneo

No início de 2020, o Banco Central criou o PIX como um concorrente para DOC e TED. A promessa é que os pagamentos pelo PIX aconteçam em até 10 segundos, inclusive nos finais de semana e feriados. O sistema começará a funcionar no dia 16 de novembro e não terá taxas para os consumidores.

Leia também

Deixe seu comentário

Comece a poupar com a Grão