Alimentação saudável - Grão

Alimentação Saudável: 5 Dicas Para Comer Bem e Barato

Manter uma alimentação saudável é uma das peças chaves para se levar uma boa vida. E poder conciliar isso com economia no orçamento certamente torna tudo ainda melhor.

Embora muitos duvidem, é possível sim comer saudável gastando pouco. Tudo depende dos seus hábitos alimentares e principalmente da sua disposição.

Neste artigo, vamos falar um pouco sobre isso e dar dicas para ter uma dieta saudável gastando pouco. Queremos que você se sinta bem e seja capaz de guardar dinheiro enquanto escolhe se alimentar melhor.

Mas, antes de começarmos, é importante dizer que não faremos nenhuma recomendação de consumo de determinados alimentos. 

Nossas dicas são cuidadosas, mas muito abrangentes, portanto, é essencial buscar um nutricionista, ok?

O que é alimentação saudável?

Ter uma alimentação saudável significa incluir em suas refeições todos os nutrientes que o seu corpo de fato precisa. E mais: ingerir a quantidade certa de cada nutriente, mantendo uma dieta equilibrada.

Além disso, é importante garantir que os alimentos sejam de boa qualidade. Por exemplo, alimentos orgânicos são melhores do que aqueles que contém agrotóxicos.

Outro exemplo de alimentos não saudáveis são os alimentos industrializados. Por mais que muitos deles tenham uma fórmula que se diz saudável, eles geralmente possuem conservantes e outras substâncias não tão legais. Então, prefira alimentos frescos.

Alimentação saudável - Grão
Crédito: Pexels

Como ter uma alimentação saudável? 

Antes de mais nada, é possível comer bem e barato? Sim, sem dúvida é possível. No entanto, é preciso rever seus hábitos alimentares e de consumo.

Uma dieta saudável implica em variedade, por isso, você precisa estar aberto a experimentar coisas novas.

Além disso, para ter um prato saudável sem gastar muito comprando comida pronta, você vai precisar ter disposição para cozinhar.

Isso não quer dizer que não existam opções de refeições mais simples, fáceis de fazer. Mas, como você precisa de variedade de alimentos, vai ter que preparar mais coisas.

Alimentação saudável com economia no orçamento

Comer bem gastando pouco muitas vezes não se trata de encontrar o alimento ideal. Mas de fazer escolhas mais inteligentes na hora de comer.

É natural do ser humano querer simplificar tudo, portanto queremos também encontrar a comida perfeita. 

No entanto, como eu disse, a dieta saudável é composta por diversos alimentos e seus nutrientes. E entender isso é o primeiro passo para uma alimentação mais equilibrada.

Algumas questões podem fazer sentido neste momento:

  • Eu sei exatamente quanto estou gastando com alimentação no meu orçamento?
  • Posso trocar algum alimento por outro mais saudável?
  • A variedade do cardápio pode ser maior, mesmo sem elevar o gasto com compras? Como?

O mito sobre a alimentação equilibrada envolver mais dinheiro nos faz esquecer que temos de fato responsabilidade nas escolhas diárias. 

Dessa forma, comer melhor está associado ao fato de aprendermos a ajustar nossa rotina alimentar à realidade financeira possível.

Uma vez que somos também apegados ao que já está enraizado, mudar o cardápio pode parecer difícil. Mas são as escolhas que farão a diferença. 

O preço de determinados itens pode ser um limitador, mas hoje já é possível contornar isso. Por isso, talvez você precise de mais:

  • Paciência para criar listas de compras de alimentos saudáveis;
  • Persistência para encontrar descontos e preços mais interessantes;
  • Criatividade para inovar e aproveitar novas receitas.

Benefícios da alimentação saudável 

Além da economia no orçamento e de ser um hábito acessível capaz de melhorar suas habilidades de autocontrole e disciplina, comer bem vai te trazer qualidade de vida.

Se colocar em primeiro lugar e se ver como principal responsável pelo seu bem-estar é algo muito importante. E quanto antes você tomar consciência disso, melhor.

Pessoas que se alimentam bem, se exercitam e cuidam da saúde têm mais disposição e se sentem melhor. Além disso, têm menos chances de desenvolver problemas de saúde.

Com certeza, o primeiro passo pode envolver um certo sacrifício, afinal toda mudança de hábito exige esforço. Porém, no longo prazo, tenho certeza de que vai valer a pena.

Por que alimentação saudável é importante?

Você com certeza já escutou a famosa frase “você é o que você come”. Pois é, o alimento nada mais é do que aquilo que nos nutre, aquilo que estamos dando ao nosso corpo.

Se você gosta de usar roupas de boa qualidade, ter um bom celular e viver em uma casa, por que não segue a mesma linha de raciocínio sobre o seu corpo?

A comida é algo cultural, passado de geração para geração. Provavelmente os seus hábitos alimentares têm a ver com o que os seus pais te ensinaram. É costume. Porém, não existe hábito que não possa ser mudado e para melhor. 

Como vimos, a importância da comida saudável vai muito além do peso e da estética, ao contrário do que muitas pessoas pensam. Então, vamos começar a mudar?

Quais alimentos compõem a alimentação saudável? 

Bora montar uma lista de compras saudável? Alguns dos alimentos chaves da alimentação saudável são: frutas, legumes, carboidratos, grãos e proteínas.

Por sorte, existem opções baratas desses alimentos. Principalmente se você optar por fazer compras em feiras e lojas a granel. Confira algumas opções:

Alimentação saudável - Grão
Crédito: Pexels

Fruta saudável

Prefira frutas da estação e que sejam tipicamente brasileiras. Isso porque elas acabam dependendo de menos agrotóxicos e fertilizantes para serem produzidas.

Se possível, prefira frutas orgânicas e as coma sem açúcar (na hora de fazer sucos, por exemplo).

Além disso, tente variar: não adianta comer bastante fruta, mas somente banana. Combinado?

Carboidrato saudável 

Muita gente vê o carboidrato como o vilão da alimentação saudável ou das dietas para emagrecer. Porém, isso é um erro.

Os carboidratos são essenciais para te dar energia. Por isso, eles devem ser equilibrados com a quantidade de exercícios que você pratica.

Quem treina todos os dias e faz exercícios pesados, por exemplo, deve comer mais carboidratos. Procure um nutricionista para te auxiliar na hora de fazer essa medição.

Alguns exemplos de carboidratos saudáveis são:

  • Milho;
  • Quinoa;
  • Aveia;
  • Batata inglesa;
  • Batata doce;
  • Mandioca;
  • Grão-de-bico;
  • Arroz integral

Legume saudável

Os legumes são como as frutas: é melhor escolher os da estação ou então comprar sempre orgânicos. 

Além disso, eles também dependem da variedade, já que cada um possui maior quantidade de um determinado nutriente.

Outro ponto importante é a forma de preparar o alimento. Obviamente, comer uma berinjela cozida/refogada é mais saudável do que fritar.

Grão saudável

Os grãos são muito importantes para a composição de uma refeição saudável. Eles trazem saciedade e são ricos em nutrientes.

São exemplos de grãos legais para incluir no seu plano de alimentação saudável:

  • Aveia;
  • Linhaça;
  • Chia;
  • Amaranto;
  • Centeio;
  • Quinoa;
  • Feijão;
  • Lentilha;
  • Ervilha.

Proteína saudável

A proteína dá sensação de saciedade e é rica em nutrientes. Ela está presente nas carnes e, de preferência, devem ser consumidas aquelas magras, sem muita gordura.

Você pode também consumir ovos, que são ricos em proteína. Já para quem é vegetariano ou vegano, é possível comer:

  • Grão-de-bico;
  • Arroz integral;
  • Feijão;
  • Quinoa;
  • Nozes;
  • Lentilha;
  • Ervilha.

Dicas de alimentação saudável barata

Agora que você já está pensando um pouco melhor no que é capaz de mudar em sua rotina para se alimentar melhor, confira algumas dicas.

1. Compre alimentos da estação

Se o foco é economizar no orçamento enquanto enche a casa com alimentos saudáveis, então aproveite os alimentos da estação.

Como a safra costuma ser afetada pela sazonalidade, diferentes momentos do ano costumam ter maior oferta de certos alimentos.

Ou seja, isso também traz a possibilidade de pagar mais barato por eles.

De janeiro a abril, por exemplo, são mais comuns:

  • Legumes: berinjela, beterraba, abobrinha e tomate;
  • Verduras: repolho, rúcula e acelga;
  • Frutas: goiaba, mamão e pera.

De maio a agosto:

  • Legumes: batata doce e mandioca;
  • Verduras: espinafre, couve, agrião e rabanete;
  • Frutas: morango, mexerica e laranja.

De setembro a dezembro:

  • Legumes: cenoura, pimentão e vagem;
  • Verduras: couve-flor, palmito e brócolis;
  • Frutas: ameixa, jabuticaba e melancia.

2. Pratique exercícios físicos

Além de comer melhor, é fundamental também praticar mais exercícios físicos. Abandonar o sedentarismo enquanto coloca em prática uma alimentação saudável pode acelerar os resultados e sua qualidade de vida.

Outro efeito muito interessante da prática de atividades físicas aparece também nos hábitos, afinal de contas você desenvolve disciplina. 

Com disciplina, fica muito mais fácil conseguir fazer controle financeiro, por exemplo, e economizar em outras coisas.

3. Não desperdice

Segundo a Organização das Nações Unidas (ONU), em um ano são desperdiçadas quase 1 bilhão de toneladas de comida. No Brasil, são mais de 20 milhões de toneladas por ano. É muita comida, não acha?

E se você desperdiça comida, também desperdiça dinheiro. Além de comprar e preparar apenas o necessário, reaproveite o máximo possível dos alimentos e da água usada na preparação.

Triture menos os alimentos. Essa dica simples pode fazer muita diferença para maximizar a matriz nutritiva do que você vai comer. E mais: a casca, algumas raízes e sementes podem ser parte do seu cardápio.

A água usada para cozinhar alguns itens pode se transformar em uma base para sopa em outro horário. Outra opção para ela é ser usada para fazer o arroz (isso inclusive preserva boa parte dos nutrientes).

4. Evite alimentos industrializados

Não é novidade que os produtos industrializados são menos ricos em nutrientes. Além disso, eles contém mais conservantes, corantes e componentes químicos. 

Assim, quanto menos comê-los, melhor, certo? Mas sair dos alimentos industrializados para os orgânicos nem sempre é tão simples. 

Aqui, o mais importante é agir para equilibrar um pouco mais essa relação. Se você faz uma refeição a menos com enlatados, por exemplo, já melhorou.

5. Pesquise para comprar mais barato

Quando você cria uma lista de compras e pesquisa preços, você consegue economizar muito no seu orçamento doméstico. Só assim você será capaz de comer melhor e ainda guardar dinheiro!

Hoje em dia, praticamente todos os mercados e vendedores de frutas/verduras atendem pelo WhatsApp. Então você pode passar sua lista e receber com facilidade os preços. Se for preciso comprar em diferentes lugares para pagar menos, faça isso.

Alimentação saudável - Grão
Crédito: Pexels

Alimentação saudável x desigualdade social

Infelizmente, sabemos que, no sistema em que vivemos, manter uma alimentação saudável depende de dinheiro. Mesmo que você economize. 

Não à toa, com a desigualdade social que existe no Brasil, a insegurança alimentar é grande.

Durante a pandemia, isso certamente se agravou e o índice de fome no país subiu. Por isso, mais do que nunca, esse tema deve ser discutido.

A relação entre dinheiro e alimentação precisa ser repensada. Como por exemplo, o imposto cobrado em cima de alimentos básicos para a composição de uma dieta saudável.

Sabemos que não necessariamente os alimentos mais saudáveis são os mais caros, vide frutas, legumes e verduras. Porém, ela depende de outros fatores também, como o preço do gás para o preparo dos alimentos, por exemplo.

Além disso, hoje, alimentos orgânicos, aqueles livres de agrotóxicos, são relativamente mais caros do que alimentos contaminados. Isso nos mostra a importância de favorecer e incentivar a agricultura familiar.

Conclusão

Como você viu, ter uma alimentação saudável é algo que pode te ajudar não só na parte da saúde e do bem-estar, mas também do bolso.

Por sorte, vivemos em um país onde a oferta de alimentos naturais é alta. Temos muitas plantações e famílias que vivem da agricultura, por isso, incentivar essas produções faz bem para toda a economia.

No entanto, não podemos ignorar o fato de que a alimentação é a mais afetada quando falamos de desigualdade social. Por isso, precisamos refletir sobre nossos desperdícios e ajudar, sempre que possível, a quem precisa.

Espero que esse texto tenha incentivado você a fazer melhores escolhas para a sua alimentação e para o seu bolso.

E se você quer melhorar suas finanças, conte com a Grão. Todos os dias trazemos dicas financeiras nas nossas redes sociais: Instagram, Facebook e YouTube.

Por fim, baixe grátis o aplicativo Grão e comece agora a juntar dinheiro! O app é gratuito e está disponível nas principais lojas de aplicativos Google Play ou App Store.

Leia também

Deixe seu comentário

Comece a poupar com a Grão